1

10.10.14 - "MAUS" por Art Spiegelman

Posted by Stella on 20:21 in , ,
Simplesmente impressionante.

Como li a edição completa, não tive nem tempo de assimilar tudo aos poucos. Foi um baque. Não tinha como parar de ler e não tinha como parar de pensar no que estava sendo dito. Em diversos momentos da história eu não conseguia respirar. Ainda agora, parece que falta o ar.

Bem, MAUS é uma graphic novel (ou romance gráfico) narrado por Vladek Spiegelman, um judeu polonês que sobreviveu ao horror do Holocausto. Ele conta para o seu filho, o autor do livro, sobre sua vida antes e durante todos esses acontecimentos. É triste, assustador, pungente. E, não só a questão que já sabemos hoje, mas toda a forma como é apresentada a história. 
Primeiro, autor representa todos os personagens como animais (os judeus são ratos, os alemães gatos, os poloneses porcos, franceses sapos, e etc) e isso torna tudo ainda mais gráfico - até mesmo o fato de conseguirem diferenciar um judeu de qualquer outra pessoa na rua. Tem um momento em que o Vladek está no campo de concentração e tem um alemão lá, mas que para os alemães ele também seria judeu, então em um momento ele aparece como gato e em outro como rato. Além disso, pela arte ser toda em preto e branco, tem um ar jornalístico, como o das tirinhas que eu lia quando era criança. Me remeteu tanto ao passado, quando ia com meus avós comprar o jornal de manhã cedinho. 
Falando em avós, a impaciência da geração mais nova com os mais velhos é outro ponto muito significativo do texto. Quando Vladek, já velho, começa a ficar neurótico (com razão) e seus defeitos ficam ainda mais evidentes, o filho por diversas vezes reprime e rejeita o pai. Isso me fez pensar tanto nas vezes que eu mesma não tive paciência com minha avó ou quando briguei com minha mãe. Hoje eu não consigo aguentar cinco minutos e já corro pra pedir desculpas. Depois de ter lido isso, acho que não vai dar nem pra esperar a raiva passar, no meio da conversa já vou pedir desculpa e dizer o quanto eu as amo independente de discordar do ponto de vista. Percebi que isso também acontece com o autor, ele sente uma culpa enorme, porque sabe tudo pelo que o pai passou e sabe também que ele nunca vai entender o que é sobreviver a algo assim. E eu nunca vou entender pelo simples fato de que não estive lá. Imagino que seja um horror tão grande, que marque uma pessoa para o resto da vida.
Todo mundo precisa ler. É isso.

1 Comments


Stella,

Sim, os mais velhos têm de ser cuidados pelos mais novos, não serem enfiados num asilo. E as crianças não deveriam ficar em creche, o ideal é que algum familiar cuidasse deles.

:)

Copyright © 2009 Wild About My Stuff All rights reserved. Theme by Laptop Geek. | Bloggerized by FalconHive.