7

20.06.09 - E o cinema brasileiro?

Posted by Stella on 14:11 in
Olha, sobre o post passado, foi um desabafo, gente! Eu não estava querendo dizer que "ai, meu deus, eu sou gorda, coitada de mim", mas que achei absurda a comparação "peso"/"sapato", entendeu? A pessoa que me disse aquilo não sabe que eu fiquei assim tão indignada, a pessoa nem lê meu blog. Eu estava DE-SA-BA-FAN-DO. Fim.

Hoje eu vou falar de outra coisa...



Ontem, quando cheguei em casa, liguei a tv e estava passando uma reportagem sobre como o cinema brasileiro está lucrando com os filmes mais recentes (Se Eu Fosse Você 2, Divã e Mulher Invisível) e que eram todos gêneros de comédia. A pergunta feita a diretores, produtores e artistas era: Seria isso só uma coincidência ou o cinema brasileiro só produz filmes bons de comédia?

Olha, a maior parte do público que vai pro cinema hoje em dia é gente que quer sair da vida, o pessoal quer rir e ver ação. É claro que, entre os filmes brasileiros lançados, os de comédia seriam os preferidos. E, sinceramente, penso que sempre vão ser. Eu quero muito assistir Budapeste, mas não acho que vá ser sucesso de bilheteria, porque vão assistir uma vez e pronto. Ah, mas tem Tropa de Elite, que foi um sucesso e não é comédia, você diria, caro leitor. Tem sim. É ação. Como eu disse, o pessoal quer rir e ver ação. A maior parte das pessoas não tem saco pra um drama psicológico de sei-lá-quantas horas sem nem ao menos uma piadinha. Os filmes que não se encaixam no gênero "poderia passar na sessão da tarde ou no intercine" vão pra sessões de filmes cult, que acho que é onde Budapeste vai parar.

Ah, mas o que eu entendo disso? O que eu sei sobre o assunto? Nada, caro leitor. Eu não sei naaada! NADA. NA-DA. Mas eu dou o meu pitaco onde eu bem entender e pronto. Aprovo muito que invistam mais no cinema brasileiro, mas no final das contas, tenho a impressão de que vai continuar sendo, em sua maioria, pautado por filmes de comédia e ação (de preferência falando sempre da violência na favela e na cidade). Ah, mas aí você vai lembrar de sucessos como Central do Brasil e Olga. É, realmente, exceções. E eu espero muito que o cinema invista mais nessas exceções. Por mais que não esteja parecendo que vão... bem, whatever.

Esse final de semana vou assistir Lavoura Arcaica, que é um filme de 2001, dirigido por Luiz Fernando Carvalho e protagonizado por Selton Mello, baseado no livro homônimo de Raduan Nassar. Tenho que apresentar um seminário pra faculdade sobre o livro na terça, mas fiquei sabendo que a fotografia do filme é fantástica (direção de fotografia de Walter Carvalho) e que é a melhor adaptação pro cinema que já viram. Então, promete.

É isso, bom sábado pra vocês. ;)

7 Comments


Stella? Hum, esse nome me lembra uma menina que era uma coisa de louco quando pegava onda com o bodyboarding ... de louco mesmo!

Quanto ao post, concordo contigo, moça, ver filme papo cabeça demais ou totalmente sério, só se for domingo à tarde no cinema, horário em que qualquer coisa parece ser melhor que as opções tradicionais de TV e visitas familiares semanais.

Teve também meu nome não é Jhonny, que é uma mistureba legal de gêneros e está muito bem feito.

Cinema brasileiro costuma ser bom, duro é que não melhoraram ainda o nível de preconceito do pessoal, que nem assiste e já mete o pau!

Bom filme pra ti ...


Começando pelo fim. Não perca "Lavoura Arcaica", é muito bom.
Qualquer filme brasileiro faz sucesso quando é mencionado na novela da Globo, nos jornais e revistas, enfim, badalado pela mídia. O Divã, já citaram na novela "Caminho das Índias", várias vezes, daí o pessoal corre para o cinema. A Plim Plim falou, tá falado!
Um beijão!


O que falta no cinema brasileiro é incentivo e divulgação. Muitos filmes são feitos, mas nem todos chegam aos cinemas e ficam no anonimato. Muitas vezes fazem sucesso fora do país enquanto a gente nem sabe que eles existem... uma vergonha.

Dois filmes a que assisti e gostei muito, além dos que vc citou (menos Central do Brasil): Zuzu Angel e Meu Nome Não É Johnny.

Bjs


eu adoro filmes brasileiros. to querendo ver mulher invisível. aquela fase de filmes com muitos palavrões e baixarias passou. bjs


Passei muito tempo sem assistir filmes brasileiros. Acho que eles estavam muito parados nos temas de pobreza e favelas. Chega uma hora em que fica rotulado demais. Voltei a assistir o cinema nacional e devo dizer que tenho gostado bastante. Principalmente dos de comédia. Ainda não assiti budapeste e provavelmente não irei gostar. Não conseguem fazer filmes bons baseados em livros! Claro que existem bons filmes assim, mas não sei... li Budapeste há alguns anos atras e confesso que estou curiosa com o filme...


Tenho que admitir, tenho preconceito contra cinema nacional, não só pelos motivos que você já citou mas também por estar cansado de ver o pessoal das novelas por todo o canto. E Selton Mello? 75% dos filmes nacionais são protagonizados por ele. Não que ele não seja bom, mas cansa, né? A mesma timidez que o Brasil tem de investir em novos gêneros (drama político, ficção e - por que não? - terror) ele tem em investir em novos talentos ou rostos pouco conhecidos. Por isso que Maysa me chamou atenção. Mas estou trabalhando para acabar com o preconceito, e nesse segundo semestre vou ver mais coisas brazucas. Acho que vou começar por Lavoura Arcaica mesmo, só pra puxar seu saco^^.

Sim, apareci!!
heheheh bjssssssssssss!!!

excelente post, BTW


Obrigada pelos comentários! :)

Massoto,

pára com tanto preconceito, viu? rs

Beijos!

Copyright © 2009 Wild About My Stuff All rights reserved. Theme by Laptop Geek. | Bloggerized by FalconHive.